Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Morfindes a Illidari

As desventuras de um Demon Hunter e de uma Hunter no Dragon Soul

18.09.17 | A Diva do Sofá

Laeron.png

 Este é o Laeron. 

Um dos meus Demon Hunters. Ainda é somente nível 104. 

Ora bem, Laeron foi ajudar-me a adquirir 2 novos dragões; o Experiment 12-B e - acima de tudo - o Life-Binder's Handmaiden, porque este sim é que é a minha verdadeira motivação. O achievement dos dragões é apenas um bónus, o que eu quero é a Handmaiden... ou pelo menos queria. 

 

Lá fui eu então para o Dragon SoulEscolhi as opções 25 - Heroic e lá fui eu feliz e contente por alí adentro. Devo dizer que o inicio correu bastante bem e despachei aquilo num instantinho, depois acabei com o Ultraxion sem problema mas aí a coisa já não me começou a correr como eu queria porque não encontrei o loot. Bem que eu andei ali à procura da carcaça do estupor do dragão mas não encontrei nada e loot também não.

 

A seguir, fui para o barco voador. No início, também tudo bem. É importante dar cabo das mobs que vão surgindo que é para o barco não despencar por ali abaixo, mas também super pacífico. A seguir é que, basicamente, foi o fim da macacada porque a seguir vem o For Justice and Glory (ou qualquer coisa assim), que é o encounter que nos leva para as costas do Deathwing. E as costas do Deathwing é que são o cão!

 

Escusado será dizer que ganhei o achievement Stood in the Fire. Achievement este que só tinha ganho, com o meu priest, uma vez quando sobrevoava Arathi Highlands e nem vi o que é que aconteceu. Num momento estava a voar, no segundo a seguir morri. Com este foi mais ou menos a mesma coisa, com a diferença que a malta é atirada para fora das costas do dragão quando o sacana começa a virar. 

 

Fiquei danada mas não desisti. Fui ler as instruções da mecânica de combate no youtube, certa de que agora conseguia dar cabo do safado. 5 tentativas depois e quase 200 gold de reparações depois, continuava tudo igual, excepto eu que já me doiam os pulsos. 

 

Pensei que isto assim não ia lá e era preciso material pesado.

 

Tilya.png

 E é aqui que entra a Tilya. A minha Beastmaster Hunter, nível 110 com 860 iLvl (que pode não ser nada de especial para o Legion, mas achei que era suficiente para acabar com o safado do bicho).

 

Saltando toda aquela parte inicial - e mais uma vez lá fui eu à procura do loot do Ultraxion que não encontrei - passamos para o barco voador e para as costas do Deathwing... Pois soltei-lhe o bestiário todo em cima e ainda assim ganhei o achievement Stood in the Fire e uma dor gigantesca no pulso e na alma!... e bem mais de 200 gold em reparações. A única coisa que pensava era que o Life-Binder's Handmaiden já me estava a dar muito trabalho e a fazer-me gastar demasiado gold.

 

Respirei fundo, fechei a loja e só lá voltei no dia a seguir para conseguir mais do mesmo... pelo menos insultei o estupor do dragão... várias vezes... e dei por terminada a minha ideia de adquirir o Life-Binder's Handmaiden ... pelo menos até domingo passado. 

 

Ontem, estava eu a jogar com uma das minhas personagens mais pequeninas e alguém coloca no chat da guilda o link para o Handmaiden que tinha acabado de ganhar... ia tendo um treco. Conversa daqui, conversa dali lá lhe expliquei o meu drama e ele deu-me umas dicas que eu, simplesmente, tenho de ir experimentar ou não me sentiria bem comigo mesma.

 

Portanto, reabri a época de caça ao Life-Binder's Handmaiden . 

  

Montarias fantásticas e onde ir buscá-las - Parte 1

11.09.17 | A Diva do Sofá

Albino Drake.jpg

 Por acaso a imagem podia ser de outro bicho qualquer mas é um Albino Drake. Sabem porquê? Porque esta deve ter sido a montaria mais fácil que alguma vez arranjei no World of Warcraft e sabem porquê? Porque não faço a mais pequena ideia como é que a arranjei. A única coisa que sei é que um dia, andava à procura de um bicho qualquer, abri o tab das mounts e pumba, lá estava este dragão.

 

É claro que depois fui à procura de qualquer coisa que me indicasse como é que este dragão me tinha aparecido ali e aparentemente tem a ver com o achievement Leading the Cavalry que por acaso eu tinha alcançado 2 ou 3 dias antes, o que eu não sabia é que se ganhava um dragão albino. De resto, todas as outras montarias ou dão trabalho ou têm de gastar dinheiro (seja no jogo ou fora dele). Portanto eu só vou atrás daquelas que dão pouco trabalho a arranjar, a não ser que queira mesmo, mesmo muito algum bicho exótico.

 

Black Drake.jpg

 Este é o Black Drake e fui buscá-lo ontem ao Obsidian Sanctum. Super fácil de arranjar, eu levei o meu Demon hunter de nível 104 (o Laeron) e não li as instruções na verdade, por isso nem me lembrei de ajustar os graus de dificuldades do raid, nem número de pessoas, nem nada. Entrei por alí adentro e fui direitinha ao Sartharion (que é o boss que tem este drop). É claro que não fazia a menor ideia que os outros bosses me caíam em cima logo a seguir, mas foi bom porque aparentemente para largar esta montaria tem de ser assim mesmo, não é para matar os outros bosses primeiro.

 

drakeskintwilightgreen.jpg

Twilight Drake era o que estava a seguir na minha lista. O problema foi que esta criatura vai-se buscar ao mesmo sítio da anterior, ou seja, ao Obsidian Sanctum e quem larga esta montaria é também o Sartharion, nas mesmas condições que o anterior (por isso é melhor ir logo direitinha a ele), mas na versão de Raid para 25 pessoas. Por isso, para ir buscar este dragão vou lá hoje ou com a Morfindes porque não posso lá ir com o Laeron.  

 

drakeskinbronze.jpg

E este é claro é o Bronze drake que se vai buscar ao Culling of Strathome (que fica nas Caverns of Time em Tanaris) em modo heróico, quem a larga é o Infinite Corruptor e penso que ainda tem 25 minutos como limite de tempo, mas com uma personagem de nível elevado o tempo dá e sobra.

 

E por hoje ficamos com estes 4 dragões e eu vou continuar à procura de mais montarias que não impliquem muito trabalho a arranjar.  

A Classe dos Shamans

06.09.17 | A Diva do Sofá

Shamans.png

 Hoje vou falar um bocadinho sobre as minhas shamans, a Zulmyra (85), a Xandrya (50), a Myra (46) e a Mooshy (71). As duas primeiras são Horde as duas últimas são Aliança.

 

A Mooshy foi o primeiro shaman que criei, na altura em que apareceu esta classe. Ou melhor, foi a primeira que criei e que ficou, antes dela tinha criado um draenei chamado Kaksi mas depois apaguei-o porque não me estava a entender muito bem com o estilo de jogo. Depois quando estabilizaram os talentos e aquelas coisas todas, criei então a Mooshy no Emerald Dream (porque tinha lá uns amigos a jogar e meia volta ia lá ter com eles). A especialização dela é Elemental e confesso que uma vez passado aquele entusiasmo inicial, não tenho jogado muito com ela.

 

Entretanto, conheci um pessoal porreiro, da Horde, no Draenor e mudei-me para lá. É assim que surge a Zulmyra (uma troll super gira). Como já tinha alguma experiência a jogar com a especialização em elemental, passei a jogar com ela neste spec. e continuo a jogar com ela frequentemente. 

 

A build que estou a usar em elemental é:

  • Maestria Totêmica (ou Totem Mastery, 15)
  • Rajada de vento (ou Gust of wind, 30)
  • Totem de surto eléctrico (ou Lightning surge totem, 45)
  • Rapidez ancestral (ou Ancestral Swiftness, 60)
  • Impacto elemental (ou Elemental blast, 75)

Há quem prefira escolher o Path of Flame em vez do Totem Mastery, pessoalmente já experimentei e para o meu estilo de jogo gosto bastante mais de jogar com os totems. No caso da Mooshy, também já experimentei jogar com o build de Restoration mas, devo dize que, não gostei muito da coisa portanto será algo para explorar noutra altura.

 

A seguir à Zulmyra, criei a a Xandrya, que também é da Horde. Criei-a porque não tinha nenhum shaman no servidor de Hellfire, tinha lá a minha primeira Guilda desta facção e basicamente porque sim. Inicialmente, comecei a jogar com ela com o spec em elemental, entretanto mudei para enhancement e mudei para enhancement porquê?

Bom mudei para enhancement porque quando começaram as invasões do Legion (semanas antes de sair a expansão), fazer o leveling das personagens era uma coisa brutalmente rápida e quando me apercebi disso (sim, porque não foi logo de repente), criei mais uma série de bonecos nos servidores que costumo utilizar mais. Entre esta personagens está então a Myra, que é a mais recente e que comecei a jogar em modo de enhacement. 

 

A jogabilidade da coisa nesta especialização mudou um bocado desde a primeira vez que a tinha experimentado e confesso que até a estou a achar bastante atractiva em termos de modelo de jogo. A build que estou a utilizar em enhancement é:

 

  • Soterrador (ou landslide, 15)
  • Estocada Feral (ou Feral lunge, 30)
  • Totem de surto eléctrico (ou Lightning surge totem, 45)

 

Ainda não decidi o que é que vou usar mais para a frente mas estou atenta às opções e normalmente experimento várias combinações para ver qual delas é que se adapta melhor à minha forma de jogar. Aliás, astá aqui uma coisa que gostava de dizer em relação à escolha de talentos; há imensas combinações possíveis e há "N" informação na net que diz "esta é a melhor para assim", "esta é a melhor para assado" e se calhar têm razão lá à maneira deles, no entanto aquilo que vos digo digo é que a melhor build é aquela com a qual se sentem mais confortáveis a jogar e é isso que procuro fazer sempre. 

Demon Hunter - Vengeance

04.09.17 | A Diva do Sofá

the-burning-rage_MAI.jpg

 Créditos da ImagemThe Burning Rage - de TamplierPainter vencedor do concurso Legion Art Contest da Wowhead.

 

Ora bem, este fim de semana a Morfindes esteve a trabalhar um bocado para ver se conseguia ir para Argus e - acima de tudo - sobreviver em Argus. Como o meu item level ainda era muito baixinho (estava em 816) e eu ainda nem tinha pegado na quest para a Broken Shore (e por isso também ainda não tinha a quest para ir para Argus). Portanto primeiro, tive de ir tratar do equipamento e só depois tratei do resto.

 

Uma das primeiras coisas que fiz foi mudar de spec porque - pelos vistos - sou influenciável e tinha estado a ver um vídeo no youtube acerca das primeiras quests em Argus. Não me lembro do nome do vídeo, nem do dono do vídeo, mas lembro-me da Hosstia que é o nome do demon hunter dele, joga com o spec de Vengeance e tem só mais 78 níveis de item level do que eu (mas tinha 99 níveis de diferença quando comecei, por isso nada mau).

 

Como a Morfindes já tinha as Aldrachi Warblades (mas praticamente nunca as tinha utilizado porque como já tinha dito anteriormente as minhas aptidões para tank são uma calamidade), resolvi então experimentar o build da Hosstia que é:

  • Chamas Agonizantes (ou Agonizing flames, 99)
  • Precipitação (ou fallout, 100)
  • Colisão flamejante (ou Flame crash, 102)
  • Alimento para o demónio (ou Feed the demon, 104)
  • Signos céleres (ou quickening sigils, 106)
  • Devastação vil (ou Fel devastion, 108)
  • Último recurso (ou Last resort, 110)

Pois devo-vos dizer que para experiência a coisa correu muito bem, é uma combinação confortável que aumenta grandemente a capacidade de sobrevivência (quer em Argus, quer noutro sítio qualquer) e este é um aspecto que eu prezo bastante porque sou pobre e não tenho dinheiro para andar a gastar em reparações.

 

Por isso, se são pobres também e não dá para andar a morrer a torto e a direito (porque é caro) este poderá ser uma especialização a considerar. Se não têm jeito para tank, não há problema, façam como eu; cada vez que vão para uma dungeon mudam para Havoc. 

Eu e o 7.3 Patch Shadows of Argus

01.09.17 | A Diva do Sofá

MTI_blog.PNG

 Ora bem, como tive de formatar o PC porque aquela coisa já andava aos soluços e bloqueava nos momentos mais inapropriados, tenho andado a experimentar este novo patch - a modos que - aos bocadinhos e confesso que nem sequer tinha lido as notas. No meio disto tudo também não faz mal porque só dois dos meus bonecos é que estavam preparados para viajar para Argus (por acaso até fiquei contentinha porque achava que não tinha nenhum que pudesse viajar para lá). 

 

A primeira coisa que me deixou muito espantada foi o facto das recompensas para ganhar poder no artefacto terem agora valores um tanto ou quanto alucinantes, o máximo que me tinha passado pelo nariz eram umas recompensas que vá... tinham mil e tal de poder de artefacto mas nunca nada com os 60 milhões que me apareceram numa coisinha daquelas que o meu rogue tinha dentro do saco... confesso que eu achei que era um bug, mas pelo sim pelo não usei-os logo não fossem os moços da Blizzard mudar de ideias.

 

Aparentemente, até agora parece que não mudaram. Outra coisa que eu gostei foi o facto de terem acabado com a troca de recursos por  Artifact Knowledge", que era uma grande seca e algo que eu nunca me lembrava de fazer, e outra coisa que me está a agradar é esta cena que está imagem acima e que por acaso é outra das coisas que muito raramente me lembro de fazer e quando lembro, preferia não ter lembrado porque sempre achei que era um disparate de recursos para coisas que até nem eram assim tão importantes (no sentido em que podiam ser impeditivos de jogar). Agora, pelo menos, parece-me um bocadinho mais razoável.

 

Também gosto dos novos efeitos visuais das classes... ou então também pode ter a ver com o facto de ter formatado o computador, até porque agora o meu black bear parece que corre mais depressa. De qualquer forma tenho de ir investigar as coisas que andaram a alterar nas classes.