Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Morfindes a Illidari

ALGUMAS NOTAS PESSOAIS SOBRE AS ALTERAÇÕES RECENTES AO WORLD OF WARCRAFT

19.02.18 | A Diva do Sofá

MAI_blog.jpg

 

Neste fim-de-semana resolvi dar algum descanso às minhas personagens principais e – como tenho lido imensas críticas à Blizzard de montes de jogadores meio descontentes – fui experimentar as ditas cujas.


Ora bem, não posso dizer que fiquei descontente com as mudanças implementadas. Na verdade, e no que respeita à exploração do conteúdo do jogo em modo de PVE, agradou-me o facto de se dar mais importância à parte das quests que era algo que, notei, se tinha vindo a perder desde o lançamento do Mists of Pandaria. Isto é, basicamente, uma pessoa quando criava um personagem novo e queria chegar rapidamente ao nível 85, bastava-lhe equipar-se com heirlooms e fazer dungeons durante uma semana de seguida. É assim, este tipo de facilidades para quem joga World of Warcraft quase desde o início, não foi muito boa onda por isso trazer de volta algum equilíbrio entre aquilo que o jogo era e aquilo que se tornou não me parece que seja uma má política. E isto leva-me à segunda parte da coisa, as dungeons… pode ter sido impressão minha, mas fazer dungeons pareceu-me mais interessante. Digo interessante porquê? Porque nos grupos em que entrei não apanhei ninguém a correr desenfreadamente pela dita e fazer aggro a todas a mobs, esperando que miraculosamente o healer tivesse mana suficiente para não deixar morrer os convivas.

 

Também é verdade que posso ter tido apenas sorte com os grupos, mas fiz a experiência em diferentes alturas do dia com personagens de níveis diferentes e de um modo geral achei-os mais ponderados. Matar mobs pareceu-me mais desafiante (porque já não bastam duas pauladas para a criatura virar o boneco) e claro matar bosses também, dado que reintroduziram algumas mecânicas de combate aos mesmos. Ou seja, devolveram às dungeons um bocado daquilo que lhes tinha sido tirado e isso eu acho muito positivo. No entanto, ainda neste capítulo há uma coisa que – continua a ser uma grande crítica por parte de muitos jogadores e com a qual eu também concordo – não achei positivo e que é o tempo de espera no LFD. 20 a 30 minutos de espera (e às vezes mais, segundo alguns relatos), não é muito apelativo… na realidade não é nada apelativo. Por exemplo, o meu tempo de tolerância são 10 minutos depois disto clico no leave qeue e vou à minha vidinha. Tudo bem que queiram promover a ideia de jogar com os amigos e jogar com as guildas e bla bla bla, mas convenhamos… muitos dos meus amigos simplesmente deixaram de jogar quando resolveram introduzir todas aquelas facilidades e não está fácil fazê-los regressar, por isso e numa perspetiva muito egoísta, tempos mais curtinhos seria desejável… se possível é claro já que quando se aumenta o grau de dificuldade das dungeons, também se aumenta o tempo de conclusão de cada uma e consequentemente também pode aumentar o tempo de espera.

 

Finalmente, apesar de se tratar de algo que penso que será implementado com a nova expansão, devolver a personalidade às famílias dos pets dos hunters é muito, mas muito positivo. Cada família de pets tem a sua função e a sua utilidade consoante o tipo de jogo e consoante os respectivos momentos. Gerir a utilização dos pets faz parte de saber jogar esta classe (algo que também se perdeu ao longo do tempo), e vá lá que até nem é muito para gerir porque quando eu comecei a jogar com um Hunter, tínhamos de gerir as flechas (a quantidade e o tipo de cada flecha), tínhamos de gerir a alimentação dos pets (não só aquilo que eles comiam, mas também tínhamos de os alimentar senão os tipos fugiam se estivessem descontentes) e tínhamos de gerir a utilização dos pets consoante a situação em que estávamos. Portanto, recuperar alguma dignidade para esta classe é bom.

 

Conclusão: a minha avaliação geral, sobre estas pequenas alterações que têm vindo a ser implementadas, não é de todo negativa. Pontualmente lá poderá surgir uma ou outra coisa, mas de momento não discordo das alterações que têm vindo a ser feitas, nem discordo das alterações que estão previstas. É também verdade que não se pode agradar a gregos e a troianos, mas epá se querem um leveling rápido comprem um boost.

iLevel 900 e Greater Invasion Points

15.02.18 | A Diva do Sofá

Zuky.PNG

 É verdade, estou muito contente porque finalmente atingi o iLevel 900 (com a Zuky) e pelo caminho concluí o achievement "You are now prepared" , que me vai ser muito útil para desbloquear as raças aliadas na nova Expansão do Battle for Azeroth

 

Também é verdade que o plano não era este. O plano orginal era chegar ao iLevel 900 com a minha hunter porque era a que estava melhor equipada e mais próxima de atingir o 900. Só que na passada terça-feira fiz o log in com esta personagem e pensei cá de mim para comigo: "Ah vou só fazer umas World quests para aumentar aqui os meus recursos da Ordem" e assim foi. Fiz as World quests. De seguida pensei outra vez cá para os meus botõezinhos "Ah... há tanto tempo que não vou a Argus, deixa cá ver em que quest é que fiquei" e assim foi. Fui andando, andando e quando dei por mim estava num grupo de Raid, num Greater Invasion Point.

 

Tenho de confessar que esta parte foi um bocado acidental já que confundi este ponto de invasão com com um ponto de invasão normal e entrei por ali adentro, sem grupo sem nada, a achar que aquilo era mais um cenário daqueles normais. De seguida como estavam lá mais 2 jogadores pensei "Fixe, deixo-vos bater primeiro no boss e depois vou lá bater também, distribuo uns heals caso seja necessário e pronto, fico com mais um invasion point feito, depois só fica a faltar mais um para ir buscar os meus veiled argunite". Depois de ter morrido 2 vezes, comecei a achar que se calhar me tinha enganado e seria preciso mais gente para derrubar aquele Pit Lord. 

 

No meio disto tudo, diz-me o coitadito do worgen warrior - que eu entretanto tinha convidado para um grupo - "Se calhar é melhor juntarmo-nos a um grupo maior", e eu - que não faço muita ideia como é funciona aquela coisa dos grupos - promovi-o a líder respondi-lhe que ele era capaz de ter razão e 'bora lá então. Dois segundos depois estava enfiada no grupo de 40 jogadores, em modo de pvp, tudo a correr desenfreadamente para o Pit Lord. Pois... olhem... comecei a correr também, convicta que no meio daquela gente toda alguém devia saber o que estava a fazer. No fim, diverti-me à brava com aquilo e ganhei umas braçadeiras novas de nível 930 que me fizeram atingir nível 900 em termos de equipamento. 

 

Ok e conselhos dicas e sugestões para chegar ao ilevel 900: Quests, timewalking dungeons e auction house. No meu caso, específicamente, é muito raro fazer dungeons (excepto nos casos em que tenho de lá ir fazer alguma coisa). Não tenho nada contra dungeons, nem contra o LFD, mas não tenho paciência nenhuma para aturar as criaturinhas que desatam a correr por alí a fora e não esperam por ninguém. No geral são criaturas que me irritam e que eu até prefiro que se mantenham mudas e caladas porque qualquer tipo de coisa que saia daquelas boquinhas faz-me doer o cérebro. Este é o principal motivo pelo qual eu não frequento muito as dungeons com as minhas personagens mais altas. Com as mais pequenitas não me incomoda tanto desde que estejam calados. 

 

No que respeita ao tempo que demora até atingir os 900, bom... no meu caso demorou um bocado e demorou um bocado porque eu tenho 8 personagens de nível 110, nas quais também estou a trabalhar o ilevel e alguns achievements (para poder voar), e mais 7 de nível 100+ que também vou jogando quando me apetece (sem contar com as mais pequenitas que jogo quando me apetece desenjoar das outras). A juntar a isto, praticamente, só jogo aos fins de semana. Agora, para quem só tem uma ou duas personagens chegar a este ilevel  é um processo bastante rápido porque o tempo investido está orientado, única e exclusivamente, para o desenvolvimento de um personagem. 

 

Conclusão, chegar a este ilevel não é muito dificil nem é muito demorado desde que não tenham muitas personagens que vos façam dispersar a atenção.