Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Morfindes a Illidari

World of Warcraft & Gaming em geral

Morfindes a Illidari

World of Warcraft & Gaming em geral

Tilya e os items lendários.

21.05.18 | Helena R. Moisio

Tilya e os items lendários.png

 

Como já devem estar a imaginar, isto não há fome que não dê em fartura. A primeira vez que ganhei um item lendário, isto até deu direito a um post intitulado “O meu primeiro item lendário”, a 23-10-2017. Quando ganhei o 2º item lendário, achei que não valia a pena estar a bater mais no ceguinho e por isso não disse nada, mas agora ganhei o 3º item lendário e já achei que devia dizer qualquer coisinha, principalmente, porque só podemos equipar 2 e com 3 a malta fica sem saber muito bem o que fazer.

 

Ora bem, então o que é que me calhou?

 

  1. The Shadow Hunter's Voodoo Mask

VoodooMask_Tilya.jpg

 Este foi o primeiro item que me saiu e digo-vos que esta máscara dá-me um jeitão qualquer que seja a especialização em que jogue, excepto survival porque não jogo neste spec, porque nos cura sempre que usamos o feign death. Não é que faça uso dela muitas vezes, mas em caso de aperto é sempre uma possibilidade de nos salvar o couro.

 

  1. Sephuz's Secret

 

Sephuz_Tilya.jpg

 Este foi o segundo item que me saiu e demorei um bocadinho até me habituar à coisa porque não estava bem a ver o que é que o minha Hunter ganhava com isto. Todavia, confesso que este anel tem a sua utilidade quando se trata de fugir e ao nível de aumento de Haste. Apesar de não estar grandemente impressionada, a verdade é que é que já me habituei ao aumento de velocidade (embora, às vezes, não se consiga fugir depressa o suficiente).

 

  1. Prydaz, Xavaric's Magnum Opus

 

Prydaz_Tilya.jpg

 

Finalmente, este foi o item que me saiu ontem e a primeira coisa que pensei foi: “Ora bolas! Podia ter-me saído a outra personagem que esta já tem 2”. Agora, fiquei obrigada a pensar que combinação é que me agrada mais e para isso vou ter de experimentar. Todavia, depois de ter estado aqui a ler as coisas no Icy-Veins, presumo que a primeira combinação que irei experimentar será Prydaz, Xavaric's Magnum Opus e Sephuz's Secret, já que não uso as características da máscara de voodoo assim tantas vezes, mas isso vai obrigar-me a gastar argunite para comprar um capacete… podia ser pior.

 

Olhem, vamos ver no que é que isto dá.

Aventuras no Timewalking do Burning Crusade

07.05.18 | Helena R. Moisio

Timewalking BC.png

 

Ora bem, mesmo jogando só durante os fins de semana, a malta acompanha estas coisas do Timewalking e desde a passada quarta-feira até à próxima quarta-feira está a decorrer o evento Timewalking da expansão do Burning Crusade. Face a isto, achei por bem dar um giro com alguns dos meus personagens secundários e ganhar mais uns timewalking badges.

 

Tudo estava a correr bem com os meus pequenotes até entrar com a Mooshy, que já não via a luz do dia há algum tempo. A Mooshy é uma Elemental Shaman de nível – agora – 76, com um AIL (i.e. Average Item Level) de 162 porque – como só jogo com ela de vez em quando – há ali uns items que são muito baixinhos. Ainda assim, 162 para um nível 76 é bastante razoável e para fazer dungeons heroicas no TBC chega, perfeitamente, até porque neste evento o iLevel é reduzido para 95.

 

Antes de fechar o dia a última dungeon para onde fui foi Mana Tombs, que começou logo de uma maneira excelente com um wipe total. Aliás, ainda mal a minha pequena shaman tinha entrado na dungeon, já estava o alucinado do tank – que era um Blood DK – a correr por ali afora até chegar ao primeiro boss. É óbvio que a coisa não ia acabar bem… mas o surpreendente é que a culpa não terá sido dele. Teoricamente, a culpa terá sido minha porque estava em modo AFK…. (?????????).

 

Pacientemente, lá lhe expliquei que não estava AFK e o resto do grupo também lhe explicou que eu não estava AFK. Todavia, não contente com isso ainda respondeu que o dano que estava a fazer era de 0.6%, ao que retorqui “Dude… I’m only level 76!”. Mesmo assim, ele continuava a não estar contente e disse-me “We’re scaled to 70, but good gear helps”… (???????)… Ou seja, não só a criatura provocou um wipe desnecessário como ainda por cima é burra e não tem problemas em zurrar a sua fantástica ignorância. Em suma, era – portanto - um tank descomplexado.

 

Presumo que não seja necessário explicar que uma coisa é “scaling down to 70” quando já se é nível 110 e se tem um artefacto, mais os talentos e os feitiços todos desbloqueados. Outra coisa é ser nível 76 e ser “scaled down to 70”, sem artefacto, sem os talentos todos desbloqueados e sem os feitiços todos disponíveis. Tirando isso, também não sei que raio de damage meter a criatura estava a utilizar porque a contagem do meu era de 5% e o único addon que tenho desatualizado é o GTFO.

 

Conclusão, achei por bem não lhe dar conversa porque é daquelas coisas que não vale a pena e no fim, o tico e o teco lá devem ter começado a pedalar e, ele até pediu desculpa.

Battle for Azeroth (BfA) e o meu PC

02.05.18 | Helena R. Moisio

MAI_01.jpg

Pois é verdade, o mês de Abril foi – para mim – um mês um tanto ou quanto complicado e por isso é que não me puseram as vistas em cima aqui pela blogosfera. No entanto, isto não quer dizer que não tenha andado por Azeroth, pelas Broken Isles e por Argus a experimentar coisas novas, a tentar melhorar o meu nível médio de equipamento, a subir mais personagens e pelo caminho comprei o Battle for Azeroth … porque estou na fuçanguisse de querer desbloquear as raças aliadas... acontece.

 

Seja como for, é sobre o Battle for Azeroth que vou falar. Não que de momento haja muito para falar ao nível de conteúdos e afins, mas ao nível das especificações técnicas do PC confesso que me tem dado algumas dores de cabeça.

 

Ora bem, então depois de ter adquirido a minha cópia do BfA procedi à instalação da dita cuja que correu lindamente… ou pelo menos correu lindamente até começar a jogar de modo mais intensivo. Foi aí que comecei a notar que o meu bichinho se começava a engasgar amiúde, nomeadamente naqueles momentos em que não dava jeito nenhum que se engasgasse, tipo em dungeons e raids que – como calculam – para além de muito embaraçoso é, em muitos casos, fatal.

 

Primeiro, pensei que fosse lag.

 

Depois, pensei que era o disco que poderia ter bad sectors.

 

Finalmente, não era nada disto.

 

Eu é que pensei que o meu PC já tinha 8 GB de memória, mas afinal só tinha 4 GB (que são os requisitos mínimos do sistema), e o coitado do bichinho, meia-volta, fica ali entupido. Felizmente, a coisa será resolvida em breve, mas, entretanto, lá tenho de me aguentar com as engasgadelas.

 

Por isso, se ainda não compraram o BfA, certifiquem-se que têm pelo menos 8GB de RAM para que o jogo possa correr sem problemas, porque os requisitos mínimos – lá está – são mesmo, mesmo, mínimos e o mais provável é que comecem a ficar bloqueados entre ecrãs, ou com a imagem congelada nos momentos mais inoportunos e podendo evitar isto, então menos mal.